Estilo de Vida  27/02/2016 

Minha resolução de Ano Novo

image647

Eu sei que parece meio tarde para tocar no assunto, mas essa é daquelas coisas que eu preciso compartilhar/desabafar. E não tive tempo nem disposição para fazer isso antes.

Não costumo ter resoluções de ano novo porque vai um pouco contra algumas coisas nas quais eu acredito e funcionam para mim.

Esse ano eu resolvi "inovar" e coloquei uma coisa como meta pessoal: não julgar. Se conseguir me libertar desse vício social, o ano já valeu a pena.

Vinha trabalhando nisso desde o fim do ano passado e achei que seria importante para essa minha caminhada da vida que tem como um dos maiores (senão o principal) objetivos "ser uma pessoa melhor".

Parece simples? Parece! Mas é uma coisa tão enraizada na cultura do ser humano que é difícil muitas vezes você se dar conta de que está fazendo.

Quando menos espera, você está julgando as atitudes, as roupas, o comportamento de alguém que talvez você nem conheça e não faça idéia do contexto.

Pode falar, quantas vezes você estava andando pela rua, viu alguém "estranho" para os padrões socialmente aceitos e apontou seu dedão mental para julgar? Fiz isso inúmeras vezes involuntariamente. Quando me dei conta me senti mal pelo simples e resumido fato de que: não tenho nada a ver com a vida de outra pessoa. Repete em voz alta: NÃO TENHO NADA A VER COM A VIDA DE OUTRA PESSOA.

Óbvio que estou falando aqui de coisas que não afetam diretamente a mim e a ninguém.

Cada um tem suas crenças e a minha se baseia em: não sou perfeita, não cabe a mim julgar. Simples, não?

Desculpa a objetividade, mas essa é daquelas coisas que parece que quando tiram sua venda são tão óbvias e nítidas que não tem muito o que discutir e argumentar.


Leia Também

Deixe seu comentário

27/02/2016 ・ 23:08

Eu tenho feito isso desde o ano passado, e muitas vezes me pego incomodada quando alguém faz algum comentário maldoso do meu lado julgando alguém… é estranho quando nossa venda cai e notamos que não temos MESMO nada a ver com a vida da outra pessoa. Mas é uma “atividade” muito boa a se fazer, Talvez se todos a praticassem, o mundo talvez fosse melhor… 😉

:*

28/02/2016 ・ 10:17

Já tive muitas idas e vindas em relação a manter um blog, mas nunca perdi minha relação em acompanhar você pelo seu blog.

Já vi suas infinitas mudanças de cidade e olha você já foi parar pertinho de onde eu nasci 🙂

O que quero dizer com isso? Bem, não nos conhecemos e nunca nos falamos, mas sem dúvida esse foi o seu post mais tocante e tenho muita satisfação de hoje estar aqui falando isso para você 🙂

Desejo do fundo do meu coração que você consiga!! Beijos.

    28/02/2016 ・ 10:22

    Obrigada por me deixar saber isso ♡

28/02/2016 ・ 14:23

Melhor meta <3
Tenho feito isso a um bom tempo e a leveza que isso nos trás é incrível e recompensador.
Como diz a Flavia Melissa "Incomodou, doeu? Leva para casa que É TEU"

28/02/2016 ・ 18:33

É libertador quando a gente consegue parar de julgar!

Eu me dei conta em meio a tantos julgamentos que primeiro: eu não gosto de ser julgada e segundo, se a pessoa está feliz e é feliz fazendo/usando o que ela quiser, o que eu tenho com isso?!

Aprendi a olhar o outro e trocar o olhar julgador por: “estou feliz se você está”.

E se me pego por um momento julgado alguém novamente, me dou um tapa na cara do tipo: “quem eu penso que sou para falar ou pensar qualquer coisa de alguém que nem conheço? Ninguém é melhor do que ninguém nesse mundo”.

Vamos ser felizes, cada um do sei jeito, da sua maneira, usando e fazendo o que tem vontade. O olhar com respeito muda a nossa vida e a vida do outro! <3

Lindo o post Tami! 🙂

28/02/2016 ・ 20:38

Vou começar à fazer assim também. Coisas simples tornam nossa vida trezentas vezes melhor! rss

29/02/2016 ・ 10:10

Concordo. Venho trabalhando nisso faz tempo também e hoje melhorei MUITO, e sempre tento conscientizar as pessoas ao meu redor quando escuto algum comentário desse tipo, sobre alguém que não conhecemos, julgando e talz.

Beijos!

29/02/2016 ・ 14:18

Acho que todos deveriam seguir esse pensamento, principalmente aqui no Brasil. As pessoas adoram julgas as outras por qualquer motivo que fuja dos nossos padrões, isso é mto chato. E realmente quando se trata de algo cultural, fica mais difícil mudar mesmo, mas creio que se todos começarem, já é um grande avanço!

Também busco fazer isso no meu dia a dia 🙂

bjus!

29/02/2016 ・ 22:08

os processos de desconstrução são assim mesmo, gradativos. e aos poucos a gente vai vendo como a vida da gente vai ficando mais leve, mais gostosa de se viver 🙂

Aline Marques Clé
03/03/2016 ・ 14:38

nossa, lindo e muito verdadeiro, vou tomar essa missão para mim mesma tb, é lindo sabermos que existem pessoas que conseguem enxergar os próprios defeitos e ter essa ãnsia pela melhora interior, parabéns Tamata, a cada dia te admiro mais, bjs!!!